sexta-feira, 13 de maio de 2011

FAQ

Bailarin@s,
continuo recebendo vários pedidos de dicas (ebaaaaa) e hoje a maioria deles é sobre ballet para adultos iniciantes. Modéstia à parte, minha especialidade, hahaha.
É que eu só dei aula para baby class e para adultos (poucas vezes para teens) e confesso que não tenho muito jeito com os pequenos (isso mudará em breve, pressinto). Gosto de quem entende da parte técnica da coisa, gosto de explicar como funcionam os encaixes do corpo e acredito muito no potencial de cada um aprender a dançar, não importa quando e onde.
Enfim, vamos tentar tirar todas as dúvidas de quem me procurou e também as das minhas alunas e ex-alunas com quem sempre mantenho contato.

1 - Já fiz ballet quando pequena, será que consigo voltar?
Sim. Se você já dançou alguma vez na vida, seu corpo vai buscar lá no passado a memória de que precisa para os movimentos voltarem a ser naturais. É mais ou menos como brincar com um bambolê. No começo, você não vai saber exatamente como fazer, terá que reativar alguns pontos do corpo que ficaram esquecidos, mas depois pega o jeito rapidinho, como se nunca tivesse parado de fazer aquilo.

2 - Nunca fiz ballet na vida. Posso começar agora?
Sim. A dança não foi feita para crianças. O ballet foi criado por adultos e para adultos. Como em muitas outras atividades, logo descobriu-se que as crianças poderiam aprender a dançar e isso traria muita facilidade no futuro. Mas eu conheço crianças que nunca serão bailarinas e adultos que parecem nunca ter feito outra coisa na vida. Tudo depende da sua dedicação, do quanto você prioriza seu ballet, de quanto espaço ele tem na sua vida e qual a relação você estabelece com ele. Pode ser um hobby. Pode entrar no lugar da academia. Pode ser terapia. Pode ser seu objetivo de vida. Tudo vai depender muito de você e do que seu corpo vai poder dar em troca (falarei mais disso daqui a pouco).

3 - Não tenho jeito nenhum para a dança, será que vou conseguir aprender?
Sim. Claro que vai. O importante é não desistir. Pense consigo mesmo: gosto do ballet? Se sim, encare que vai precisar de tempo e dedicação para transformar o que seu professor diz em algo orgânico. Estude, estude, estude. Mas não fique só na teoria. Pratique, pratique, pratique. Mas não fique só na prática. E, gostando da dança, fique com ela. Quem não desiste aprende.

4 - Não tenho físico de bailarina. Vou conseguir mudar isso?
Sim. A dança é uma arte atlética. Fazendo ballet duas vezes por semana muito provavelmente você sentirá a diferença em alguns meses. O ballet reorganiza o corpo. Coloca as costas no lugar. Se começar a pensar como uma bailarina (saudável), você começará a comer melhor, dormir melhor, ter menos ansiedade. Irá arrumar a postura. Se puder fazer mais aulas, melhor! Eu acredito que para quem realmente queira dançar em palco o ideal é tentar fazer uma aula por dia, intercalando ballet, alongamento, pilates e/ou yôga.
Sobre ser ou não ser bailarina: já falei aqui do que penso sobre os tipos de físico e o que eles podem te dar como resposta. Existe espaço para todos na dança. Mas obviamente alguns padrões estão muito estabelecidos em grandes companhias. Acontece que não existem só grandes companhias. Existem pequenas. Existem escolas de bairro. Existe o corpo de baile. Converse com seu professor sobre seu potencial. Encare sua realidade física e seja feliz!

5 - Eu me esforço muito e não consigo ver nenhum progresso. Isso vai mudar?
Sim. Se você já faz ballet há mais de um ano, é normal que seus músculos entrem em uma "zona de conforto". Para progredir, é preciso desafiar-se. Tente uma aula de nível mais avançado. Se estiver muito difícil para você, peça reforço. Um dos momentos em que meu corpo mais progrediu na vida foi quando tive aulas particulares. Nem foi por opção, mas ter um "coacher" olhando tudo o que você faz, nos mínimos detalhes, ajuda demais.

6 - Posso fazer alguma coisa para aprender mais rápido?
Sim. Aula de barra a terre, ler sobre a técnica, assistir muitos ballets, ir a festivais. A dança se monta na sua cabeça e no seu corpo. Se você não sabe o que é um arabesque, não lembra dos nomes dos passos, qualquer dicionário dos termos da dança pode ajudar. Se não faz ideia do que é uma variação de repertório, melhor começar a saber. Conhecimento, ainda mais hoje, é artigo de primeira necessidade, em qualquer área. Assista aulas mais avançadas que a sua. Repare no que as bailarinas mais experientes fazem em determinados passos. Não há mal nenhum em copiá-las. A dança se aprende por repetição. Respeite muito quem sabe mais que você. Trate a dança com carinho.

7 - Não tenho o alongamento que gostaria. Posso dançar?
Sim. Eu também não tenho o alongamento que gostaria. Acho que só a Zakharova tem. Mas a dança não é feita só de pernas altas, giros triplos e saltos que desafiam a gravidade. Se você conseguir fazer um pouco de cada coisa, estará fazendo o todo. E em alguma coisa será melhor. É assim com todo mundo (menos com a Zakharova, hahaha). O fato é que existem pessoas mais elásticas que outras. Dá pra mudar isso? Sim. É preciso um trabalho de alongamento mais intenso. É dolorido, eu sei. Mas qualquer coisa que se ganhe já é muito. Aconselho procurar aulas de alongamento para bailarinos ou yôga (eu fiz a modalidade Swásthya, que é bem física). Mas deixe claro para o professor que seu objetivo é complementar o trabalho na dança. Se vai resolver? Depende dos seus ligamentos. Mas posso garantir que vai melhorar. Mais uma vez: não desista.

8 - Posso fazer exercícios em casa para ajudar?
Sim. Para melhorar o alongamento, recomendo a Deuserband, uma tira de elástico que fez maravilhas comigo. Faço três tipos de exercício com ele, prometo fazer um post ilustrado se alguém se interessar (comentem aí).
Para o cou-de-pied, vale investir na Chinerina. Já falei desses produtos aqui, são ótimos investimentos.
Para aprender mais e mais: livros, vídeos e muito material extra podem ajudar. Veja aqui e aqui.
Repertórios, música, acervo: aqui, aqui e aqui.
Quem me dera tivesse tudo tão à mão assim quando eu estava começando a aprender!

9 - É possível conciliar a dança com o trabalho? E com filhos, maridos e casa?
Sim. Eu trabalho em uma das maiores agências de propaganda do Brasil. Não tenho horário para sair em muitos dias. Tenho casa, namorido, cachorro, gato, estou grávida e minha família mora em outra cidade (ou seja, não tem mãe pra me socorrer quando acabar o açúcar lá em casa). Realmente eu não sei como dá certo, mas dá. Claro que em muitos dias não dá. Mas eu aproveito cada brecha na agenda para dançar. Como? Colocando meu ballet como minha prioridade. Pode parecer frio da minha parte, mas quem me conhece sabe o bem que ele me faz. Me faz melhor nos outros setores da vida, me deixa viva e inteira. Eu sei que nasci para dançar, do jeito que eu posso, quando eu posso (e não me culpo quando não posso, porque tenho um Plano B). No momento que estou vivendo, e muitas amigas e alunas estão na mesma situação, a dança está só me esperando voltar.

10 - Posso desistir?
Sim. Se você leu até aqui, talvez tenha reparado que todas as minhas respostas são sim. Na dança você pode tudo. Pode dar um tempo, pode recomeçar, pode fazer carreira, pode nem gostar. Mas não terá tido uma das melhores sensações da sua vida, que é rezar com o corpo, é falar com ele e ver o quanto não fomos criados em vão.

5 comentários:

Barbara disse...

Ah que saudade do blog!!!
Com tanto trabalho nao consigo ver mais com frequencia que gostaria.
Me peguei num domingo (oi?) na frente do computador....

Amei post das FAQs, e a questao 9 está ooootima!
Beijao e parabéns por manter tudo e tao bem ao mesmo tempo :)

Anônimo disse...

Ana, sou dessas bailarinas da terceira idade como costumo brincar...preciso aprimorar o meu alongamento e gostaria de mais detalhes sobre o Deuserband. Inclusive onde posso adquirir e como usar.
Beijo para vc e para a filhota!

Fabi
(fabianamey@yahoo.com.br)

Gi disse...

Ola comecei faz pouco tempo tenho 21 anos e to adorando!
queria informações sobre a deuserband,vc poderia fazes um post por favor?
adorei esse blog!

Ana Yazlle disse...

Gi, atendendo a vários pedidos, acabou de sair um post fresquinho sobre a Deuserband.

Anônimo disse...

posso ter aulas pela internet? já que na minha cidade nao tem escolas de ballet? se sim, me indica um site confiavel