quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Glissade, Assemblés




Glissade: [escorregadela] Um passo saltado onde o pé que trabalha desliza da quinta posição na posição escolhida, com o outro pé fechado. Glissade é um passo à terre e é usado para ligar passos. Após demi-plié em quinta posição o pé que trabalha desliza ao longo do chão e salta a poucos dedos do chão. O outro pé então acompanha, ficando no ar com os joelhos esticados e os dois pés apontando para o chão. Então o pé que trabalha retorna ao chão e o outro cruza à sua frente em quinta posição, demi-plié. Quando um glissade é usando como um passo auxiliar para pequenos ou grandes saltos é realizado em um rápido movimento. Glissades são feito com ou sem mudança de pé, e todos começam e terminam com demi-plié.

Assemblés: [juntas] Um passo saltitante onde o dançarino empurra uma perna para cima e para fora para a frente, lado ou trás, no mesmo tempo saltando com a outra, e trazendo as duas pernas juntas no ar antes de aterrissarem.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Louvor à dança


"Eu louvo a dança, pois ela liberta as pessoas das coisas,
unindo os dispersos em comunidade.
Eu louvo a dança, que requer muito empenho, que fortalece a saúde,
o espírito iluminado e transmite uma alma alada.
Dança requer o homem libertado, ondulado no equilíbrio das coisas.
Por isso eu louvo a dança.
A dança exige o homem todo ancorado em seu centro para que não se torne, pelos desejos desregrados,
possesso de pessoas e coisas, e arranca-o da demonia de viver trancado em si mesmo.
Ó, homem, aprende a dançar!
Caso contrário, os anjos não saberão o que fazer contigo."

Santo Agostinho

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Gravidez e ballet

É muito importante continuar a se exercitar durante a gravidez. Não sou muito experiente com a arte de gerar alguém dentro de mim, por isso, e também porque simplesmente três alunas resolveram ficar grávidas, procurei algo que pudesse ajudá-las e ajudar a mim mesma durante as aulas.

Como com qualquer atividade, é preciso tomar alguns cuidados no ballet. E, claro, sempre ter o aval do médico para continuar se exercitando.

A principal coisa que descobri é que um hormônio chamado relaxina, que ajuda na expansão do útero, também afrouxa os tendões, ligamentos e tecido conjuntivo, incluindo o tecido que liga seus ossos pélvicos (sonho de qualquer pessoa, acho que vou engravidar, hahaha). Isso os torna mais suscetíveis a lesões. Por isso, nada de exagerar no grand écart ou no grand battement.

Além disso, no fim do segundo trimestre da gravidez, a barriga começa a atrapalhar. Na verdade, desde o começo o corpo muda, os seios incham e o equilíbrio acaba ficando comprometido. Não tenha medo de usar a barra mais do que o habitual.

Irina Dvorovenko, primeira-bailarina do American Ballet Theater, ficou grávida durante as semanas finais da temporada do Metropolitan Opera House, quando ela e o marido estavam dançando Romeu e Julieta. Alguns trechos traduzidos livremente da revista Dancer:

"Minha primeira preocupação foi ‘Serei capaz de dançar um Lago do Cisne com 8 semanas de gravidez?’ O médico disse: 'Ouça o seu corpo. Se você sentir dor ou sangramento iniciar, pare imediatamente’. "

Ela também se sentia exausta. "Eu geralmente sou, tipo, 200 por cento. Fiquei 30 por cento".

Ela ganhou apenas 2 quilos durante seu primeiro trimestre e foi capaz de esconder a gravidez. "Minha barriga não apareceu", disse ela. "Apenas o corpo parece um pouco diferente."
Três dias depois do parto, Dvorovenko retornou ao estúdio de dança para alguns exercícios mais delicados e no chão. "Foi muito bom sentir os músculos na posição a que eles estão acostumados", disse ela.

Mas, talvez pela primeira vez, sapatilhas de ponta não foram sua prioridade.


Dicas:

  • Se não está acostumada, evite saltos e pegadas mais perigosas.
  • Os exercícios no solo e na barra não são contraindicados.
  • Tome cuidado com os alongamentos, para que não ultrapassem uma área de conforto, com as repetições para que não fadiguem a musculatura, com as mudanças bruscas de direções e giros, pois suas articulações estão mais frouxas.
  • A quantidade de sangue na circulação aumenta 50%, então a quantidade que o coração precisa bombar a cada batida aumenta em cerca de 40% – afirma o obstetra Patrick O'Brien, do University College Hospital, em Londres, e porta-voz da Royal College de Obstetrícia e Ginecologia. – Algumas pessoas defendem a teoria de que esse esforço extra do coração durante a gravidez pode seguir ajudando as mulheres no futuro. Mas se você acompanhar as mulheres após o parto, a maioria desses efeitos costuma voltar ao normal entre seis e oito semanas, e todos eles se normalizam completamente em até seis meses.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Ponta Perfeita

Já falei aqui do site da Thaís, o Ponta Perfeita.
Então reforço e aproveito para colocar alguns links de posts dela que podem ajudar quem está procurando sapatilha de ponta para começar 2010 do jeito que mais gostamos: na ponta dos pés, uai.

Você está pronta para subir nas pontas?
Pontas em idade adulta
Qual é a sapatilha ideal para o formato dos seus pés?

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Um mundo que dança

Olhe à sua volta. Preste atenção nas pessoas que estão perto de você durante um dia inteiro. Não é possível que o ser humano tenha sido feito para passar a vida sentado assistindo à televisão.
Depois que fui à apresentação do ótimo grupo Pilobolus, comecei a ficar incomodada com a acomodação do nosso corpo. Um monte de ossos empilhados sem uso é a coisa mais triste que se pode fazer com ele.
Defendo e sempre defendi o uso consciente do corpo, cada um com o seu jeito. Na dança eu encontrei a minha maneira de expressar um pouco disso. E brigo todo o dia com minha musculatura para que ela tenha força, disposição e coragem de dizer coisas que a boca sozinha não diz. Brigo também com minhas alunas para que elas não façam uma aula medíocre, para que sintam que há energia em todos os movimentos, que há intenção num passo de dança, que o coração dança junto com a gente.
Acho que um pouco do que estou dizendo aqui foi lindamente captado em fotografia e publicado por Alan Taylor no blog The Big Picture, do Boston Globe. Inspirado por publicações como Life Magazine, National Geographic e em experiências on-line como MSNBC.com's Picture Stories Alan posta toda segunda-feira incríveis imagens - com enfoque sobre os atuais acontecimentos, histórias e tudo o que pode ser interessante e que uma câmera pode conseguir registrar. Escolhi algumas para o Diário, mas tem muito mais, além dos créditos e de uma introdução bacana (em inglês).
O mundo é bailarino e, como Nietzsche já disse, que seja perdido o dia em que não se dançou uma única vez.


Bailarina do English National Ballet em A Morte do Cisne, com traje concebido por Karl Largerfeld, Londres, Inglaterra. (Oli Scarff / Getty Images)

Pessoass dançando sob o arco-íris durante o Bela Música Rock Festival 2009, em Borovaya, nos arredores de Minsk. (AP Photo)

Bailarinos do Alvin Ailey American Dance Theater. (Andrew Eccles)

Dançarinas da Morenada durante o festival Jesus del Gran Poder em La Paz, Bolívia. (AIZAR RALDES / AFP / Getty Images)

Bailarino da trupe argentina Fuerza Bruta em abertura do show no Adrienne Arsht Center, em Miami, Flórida. (REUTERS / Carlos Barría)

Eleitores do candidato reformista Mir Hossein Mousavi dançam a música que vem de um alto-falante nas ruas, alguns dias antes da eleição, no Sadatabad distrito do norte de Teerã, Irã. (AP Photo / Ben Curtis)

Eleitores do candidato Megawati Sukarnoputri dançam antes de seu discurso em Porong distrito de Sidoarjo, East Java. (REUTERS / Beawiharta)

Doug Walker e seu grupo de break dance "New York City Float Committee" na estação do Metrô de Times Square. (Damon Winter / The New York Times)

"Colabore com seu biógrafo. Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido. Tendo consciência de que, cada homem foi feito para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro. Você foi criado, para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra."
Nizan Guanaes

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Ballet para adultos - Divulgação


A partir do dia 11/01/2010 estaremos de volta com nossas aulas.

- Ballet Adulto as 3as. e 5as. das 20h30 as 21h45 com a professora Ana Yazlle!

Aproveito para divulgar:

Vídeo a respeito do Ballet para Adultos

Blog da professora Ana Yazlle

Reportagem da Folha Online

Esperamos vocês (isso vale para quem quer fazer a aula experimental também) dia 12/01/2010!
Vamos começar o ano nas pontas dos pés!

Atenciosamente, Clóris.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Um bom começo

O ano de 2010 reservou gratas supresas a este blog. É incrível o que as coisas que você faz com amor fazem com você. Eu comecei o Plano B justamente porque a dança é um lado da minha vida muito importante. Na verdade, talvez esteja me preparando para esse plano enquanto a realidade ainda não me permite. Mas é o que mais amo fazer, e isso tem dado frutos.
Pela dança, conheci pessoas incríveis. Fiz amigos recentes que parecem de infância. A dança cura os meus males e já salvou minha vida. É claro que não poderia ser de outra forma: ela retribui sempre.
O último post tem sido a prova disso. Por meio dele, pessoas de peso chegaram aqui. E isso não é importante porque sou vaidosa ou porque quero aparecer. É importante porque o Plano B fez uma coisa importantíssima para a dança. Aqui podemos falar, trocar, mostrar, divulgar. E eu quero aprender muito, quero aprender sempre.
Uma coisa que aprendi com todos os meus professores foi respeitar quem sabe mais. E sempre existe alguém que sabe mais. Falta muito isso nas salas de aula. Falta muito isso nas salas de espetáculo. Mas a gente chega lá.
Bom, e como tenho recebido muitos e-mails perguntando sobre como, onde e por que dou aula, vou falar um pouquinho sobre isso.
Comecei meus estudos no interior, na cidade de Assis, com minha eterna professora Fátima Barbosa (que hoje dirige a Companhia do Bailado de Ourinhos). Paralelamente, frequentava a escola de Toshie Kobayashi, grande mestra, com quem aprendemos tudo e mais um pouco, em São Caetano do Sul e aí fiz todos os grades da Royal Academy of Dance (terminando o oitavo com Honours e muitos elogios) e o Elementary Majors.
Fiz cursos fora, na Califórnia e no Joffrey Ballet e American Ballet Theater, em Nova York. Fiz parte da companhia de dança que Fernanda Chamma montou em parceria com a BioRitmo aqui em SP, tendo aulas com Eduardo Bonnis e Valéria Mattos. Também fui aluna de Ismael Guiser e Ricardo Scheir, querido, querido, por quem tenho profunda admiração.
Hoje dou aula de ballet para adultos em escolas da zona oeste e sou aluna de uma ex-companheira de palcos, Cristina Shimizu.
Somos de uma geração que gosta mesmo do que faz e que batalha muito. Além de dançar e dar aula, trabalho numa agência de propaganda, a Africa, de Nizan Guanaes. Mais do que amar a dança, vejo nela meu passado, meu presente e, principalmente, meu futuro. Meu plano B.

Se quiserem mais informações, entrem em contato:
anayazlle@gmail.com / twitter.com/anayazlle