segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Gravidez e ballet

É muito importante continuar a se exercitar durante a gravidez. Não sou muito experiente com a arte de gerar alguém dentro de mim, por isso, e também porque simplesmente três alunas resolveram ficar grávidas, procurei algo que pudesse ajudá-las e ajudar a mim mesma durante as aulas.

Como com qualquer atividade, é preciso tomar alguns cuidados no ballet. E, claro, sempre ter o aval do médico para continuar se exercitando.

A principal coisa que descobri é que um hormônio chamado relaxina, que ajuda na expansão do útero, também afrouxa os tendões, ligamentos e tecido conjuntivo, incluindo o tecido que liga seus ossos pélvicos (sonho de qualquer pessoa, acho que vou engravidar, hahaha). Isso os torna mais suscetíveis a lesões. Por isso, nada de exagerar no grand écart ou no grand battement.

Além disso, no fim do segundo trimestre da gravidez, a barriga começa a atrapalhar. Na verdade, desde o começo o corpo muda, os seios incham e o equilíbrio acaba ficando comprometido. Não tenha medo de usar a barra mais do que o habitual.

Irina Dvorovenko, primeira-bailarina do American Ballet Theater, ficou grávida durante as semanas finais da temporada do Metropolitan Opera House, quando ela e o marido estavam dançando Romeu e Julieta. Alguns trechos traduzidos livremente da revista Dancer:

"Minha primeira preocupação foi ‘Serei capaz de dançar um Lago do Cisne com 8 semanas de gravidez?’ O médico disse: 'Ouça o seu corpo. Se você sentir dor ou sangramento iniciar, pare imediatamente’. "

Ela também se sentia exausta. "Eu geralmente sou, tipo, 200 por cento. Fiquei 30 por cento".

Ela ganhou apenas 2 quilos durante seu primeiro trimestre e foi capaz de esconder a gravidez. "Minha barriga não apareceu", disse ela. "Apenas o corpo parece um pouco diferente."
Três dias depois do parto, Dvorovenko retornou ao estúdio de dança para alguns exercícios mais delicados e no chão. "Foi muito bom sentir os músculos na posição a que eles estão acostumados", disse ela.

Mas, talvez pela primeira vez, sapatilhas de ponta não foram sua prioridade.


Dicas:

  • Se não está acostumada, evite saltos e pegadas mais perigosas.
  • Os exercícios no solo e na barra não são contraindicados.
  • Tome cuidado com os alongamentos, para que não ultrapassem uma área de conforto, com as repetições para que não fadiguem a musculatura, com as mudanças bruscas de direções e giros, pois suas articulações estão mais frouxas.
  • A quantidade de sangue na circulação aumenta 50%, então a quantidade que o coração precisa bombar a cada batida aumenta em cerca de 40% – afirma o obstetra Patrick O'Brien, do University College Hospital, em Londres, e porta-voz da Royal College de Obstetrícia e Ginecologia. – Algumas pessoas defendem a teoria de que esse esforço extra do coração durante a gravidez pode seguir ajudando as mulheres no futuro. Mas se você acompanhar as mulheres após o parto, a maioria desses efeitos costuma voltar ao normal entre seis e oito semanas, e todos eles se normalizam completamente em até seis meses.

18 comentários:

Sara Giiovana disse...

amei amei a footo *--*

Paula Almeida disse...

Que bom que encontrei seu blog, e ainda mais esse post!Muito bom! Sei que é difícil dar conselhos, mas de bailarina grávida para bailarina grávida...
estou grávida de 4 semanas e continuo fazendo minhas aulas (cortando alguns exercícios de maior impacto), porém tenho uma apresentação em outubro, quando estarei na 27 semana: a dúvida é... será que estarei em condições para me apresentar??? Sei que só meu corpo poderá dizer, mas o que gostaria de ouvir é se isso já foi possível com outras gravidas nessa situação; e como você tem alguns exemplos de alunas e o seu pessoal, talvez me dê um help.
beijo e boa sorte!

Ana Yazlle disse...

Oi, Paula! Obrigada pela visita.
Muito bom ter uma grávida bailarina trazendo suas experiências.
Olha, se tudo estiver bem com você, é possível ir até o final da gestação fazendo aula, sem saltar e fazer coisas que te façam perder o equilíbrio. Eu fiz aula até, mais ou menos, o sexto mês. Ia dançar também uma variação (Raymonda), mas tive duas infecções urinárias e logo depois minha placenta baixou um pouco. A recomendação foi de repouso absoluto, tipo ficar parada em casa mesmo! Isso foi no sétimo mês e então resolvi parar. As aulas estão fazendo falta, mas a mobilidade fica comprometida, viu? Talvez você passe por isso, talvez não. O importante é: não cansar, não saltar, não cair. Se estiver tudo bem, vai fundo! O ballet ajuda até no parto, pode acreditar. O meu é mês que vem e, apesar de tudo, estou ótima fisicamente! Tenho certeza que você saberá reconhecer seus limites. Quanto à apresentação, vale prestar atenção em como será a coreografia. Se for muito agitada, acho mais difícil... Se for tranquila, dá pra fazer, sim!
Me conte como está indo! Beijo!

Paula Almeida disse...

Obrigada Ana,

Gostei muito de tudo que você escreve no seu blog, da forma como você demonstra seu amor ao ballet e como vive a vida com intensidade.
E além de tudo é super atenciosa...obrigada pela sua resposta, e pelo interesse na minha nova experiência! Acho que a gravidez é mesmo um momento muito iluminado e especial; tenho certeza que aumentou ainda mais seu brilho!
Eu por aqui continuo minhas aulas bem mais calminha (confesso que as amigas é que impedem que eu comesse a saltar nas aulas...) Como o ballet também é um plano B para mim (sou designer de interiores), a apresentação é algo que estou deixando decidir mais para frente...
Mais uma vez obrigada pela sua gentileza! Com certeza trocaremos mais figurinhas!!!
Espero ler no seu blog quando nascer sua pequena!
beijos e Força agora no finalzinho!!!

Ana Yazlle disse...

Eu que agradeço o carinho, Paula! Tô tentando manter tudo atualizado por aqui, é o jeito de matar a saudade das aulas (que em breve me terão de volta, hahaha).
Vc faz aula e dança onde?
Beijão!

Paula Almeida disse...

Eu faço aulas na academia Shiva Nataraj (tatuape), onde também estou cursando técnico.
Estou na sexta semana de gravidez, e hj fiz um ultrassom e já vi o coracaozinho do bebezinho bater! uma coisa...
Vou ir acompanhando o blog e trocando figurinhas!
Beijos

Anônimo disse...

Olá meninas. Sou do Rio Grande do sul. Faço ballet clássico e estou grávida de quatro semanas. Estou muito preocupada. É o meu primeiro filho. Não conversei ainda com a minha professora. Tenho um espetáculo em dezembro, mas não sei se vou conseguir apresentar.

Anônimo disse...

Olá, meu nome é Marisol, e estou planejando um bb para outubro, já chorei muito pq não quero parar de dançar! Mas meu esposo e eu queremos muito um bb, então planejei tudo, não vou fazer nenhuma apresentação até o ano que vem, faço o classico, jazz e contemporâneo, sou muito dinamica e só de pensar em parar me dá uma angústia, quando vi seu blog achei interessante em compartilhar isso. Não quero desistir de ser mãe, mas acho que será dificil conciliar tudo mesmo depois do nascimento do bb. Estou tão dividida... bjs.

Ana Caterina Contè Ivanov disse...

Olá, adorei o post. Sou bailarina profissional, infelizmente na Academia onde trabalho quando eu contei da gravidez fui banida de dançar. Fiquei chateada e frustrada por ter que dar espaço a outra no meu lugar. Eu sabia que não poderia dançar grávida, mas mesmo assim, é dificil largar seu posto.

Anônimo disse...

Oi, sou Isabella, bailarina profissional e futura mamãe de primeira viagem. Descobri que estou grávida de 5 semanas e fiz aulas pesadas nas semanas anteriores a descoberta da gravidez. No entanto, gostaria de saber quais os tipos de exercícios que posso fazer?! Meu médico pediu que evitasse exercícios de grandes impactos, logo já excluí os grand jetés das aulas, bem como os sissones. Minha dúvida é em relação aos abdominais, pois o ballet por natureza força demais o abdomên, como vocês lidaram com isso? Até quando poderei fazer aula, já que dançar este ano eu já excluí as possibilidades...rs....Faço aulas de clássico, jazz, afro jazz, aeróbica e contemporâneo! Amei este blog Ana, parabéns! Grande beijo

Suzy disse...

Tb estou planejando engravidar, mas tenho medo de não poder dançar o espetáculo do final de ano, até quantas semanas de gravidez dá para aguentar o ritmo do ballet?

Sabrina Gasparetti disse...

Ola! Alguem conhece um relato de parto natural de bailarina classica? Quais beneficios a bailarna tem pra hora do parto? Estive parada antes de engravidar mas queria saber no q o ballet pode me ajudar neste momento do parto. Bjoo Sabrina

Ana Yazlle disse...

Oi, Sabrina! Obrigada pelo comentário. Eu não tive um parto 100% natural, mas tive um excelente parto normal no quarto da maternidade, com analgesia para a dor. Posso te falar da minha experiência, pois meu GO sempre falou que as bailarinas são ótimas parideiras (ele tem outras pacientes que fazem ballet). O que acontece é que vc precisa ter muita força para enpurrar o bebê e um certo poder sobre a bacia, a pelve, etc. Uma pessoa muito sedentária e sem conhecimento do corpo talvez tenha mais dificuldade de lidar com isso (mas não é regra, pois cada uma tem uma experiência). O parto normal pode ser bem cansativo, mas eu não me cansei. Demorou bastante porque eu precisei de ajuda da indução, pois não tive contração e dilatação sozinha. Mas deu tudo certo! E eu tenho certeza que foi o ballet o responsável por grande parte da minha força ali na hora H. Uma equipe médica que acredite no parto normal também é fundamental, viu? Boa sorte para as bailarina gravidinhas! Beijos.

Marcela Veloso disse...

Oi, tenho 15 anos e sempre quis fazer ballet, mas nunca tive oportunidade. Gostaria de saber se ainda posso fazer ou ja é tarde demais. Beijo

claudia souza disse...

Olá. Sou bailarina e estou grávida de 16 semanas...morria de medo de ter q parar de dançar!!rsrs
Mas graças a Deus, continuo dançando! Me sinto incrivelmente ótima qdo danço...sinto q meu corpo agradece. Tirei os passos de maior impacto e sigo normalmente! Amo a dança e tb amo meu bb. Não sei até qdo meu corpo vai responder positivamente, mas enquanto eu puder irei dançar!

leylane abreu disse...

Olá! Adorei seu post! Sou bailarina e professora e estou tentando engravidar. Minha maior preocupação é se eu poderia continuar dando e fazendo aulas. A apresentação de final de ano eu não faria grávida porque minha escola faz ballet de repertório e eu acho que não seria interessante, já pensou, uma bela adormecida grávida rsrsr, melhor não né rsrsr.... mas outras apresentações em eventos de menor importância pretendo fazer sim, mas sempre pegando leve é claro!

Grávida aos 17 anos disse...

Olá sou a Gabriela faço diversos tipos de dança desde do contemporâneo ao teatro musical, estou grávida aos 17 anos e terei uma apresentação quando eu estiver de mais ou menos 4 meses.
Será que serei capaz de dançar?

Grávida aos 17 anos disse...

Olá sou a Gabriela faço diversos tipos de dança desde do contemporâneo ao teatro musical, estou grávida aos 17 anos e terei uma apresentação quando eu estiver de mais ou menos 4 meses.
Será que serei capaz de dançar?