terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Um bom começo

O ano de 2010 reservou gratas supresas a este blog. É incrível o que as coisas que você faz com amor fazem com você. Eu comecei o Plano B justamente porque a dança é um lado da minha vida muito importante. Na verdade, talvez esteja me preparando para esse plano enquanto a realidade ainda não me permite. Mas é o que mais amo fazer, e isso tem dado frutos.
Pela dança, conheci pessoas incríveis. Fiz amigos recentes que parecem de infância. A dança cura os meus males e já salvou minha vida. É claro que não poderia ser de outra forma: ela retribui sempre.
O último post tem sido a prova disso. Por meio dele, pessoas de peso chegaram aqui. E isso não é importante porque sou vaidosa ou porque quero aparecer. É importante porque o Plano B fez uma coisa importantíssima para a dança. Aqui podemos falar, trocar, mostrar, divulgar. E eu quero aprender muito, quero aprender sempre.
Uma coisa que aprendi com todos os meus professores foi respeitar quem sabe mais. E sempre existe alguém que sabe mais. Falta muito isso nas salas de aula. Falta muito isso nas salas de espetáculo. Mas a gente chega lá.
Bom, e como tenho recebido muitos e-mails perguntando sobre como, onde e por que dou aula, vou falar um pouquinho sobre isso.
Comecei meus estudos no interior, na cidade de Assis, com minha eterna professora Fátima Barbosa (que hoje dirige a Companhia do Bailado de Ourinhos). Paralelamente, frequentava a escola de Toshie Kobayashi, grande mestra, com quem aprendemos tudo e mais um pouco, em São Caetano do Sul e aí fiz todos os grades da Royal Academy of Dance (terminando o oitavo com Honours e muitos elogios) e o Elementary Majors.
Fiz cursos fora, na Califórnia e no Joffrey Ballet e American Ballet Theater, em Nova York. Fiz parte da companhia de dança que Fernanda Chamma montou em parceria com a BioRitmo aqui em SP, tendo aulas com Eduardo Bonnis e Valéria Mattos. Também fui aluna de Ismael Guiser e Ricardo Scheir, querido, querido, por quem tenho profunda admiração.
Hoje dou aula de ballet para adultos em escolas da zona oeste e sou aluna de uma ex-companheira de palcos, Cristina Shimizu.
Somos de uma geração que gosta mesmo do que faz e que batalha muito. Além de dançar e dar aula, trabalho numa agência de propaganda, a Africa, de Nizan Guanaes. Mais do que amar a dança, vejo nela meu passado, meu presente e, principalmente, meu futuro. Meu plano B.

Se quiserem mais informações, entrem em contato:
anayazlle@gmail.com / twitter.com/anayazlle

Um comentário:

Historias de Depois... disse...

Oi ana, adorei seu blog e já estou seguindo :)
esse ano estou querendo começar a dançar URGENTEMENTE tendo em vista que já estou na terceira idade pra começar, 23 anos, hauahu! vc acha muito tarde? como vc é professora gostaria de manter contato pra se possivel me dar uns toques :) grande beijo!