terça-feira, 21 de setembro de 2010

Piruetas

Minha professora Toshie Kobayashi sempre falou: pirueta é treino. Eu acredito que seja isso mesmo. Para girar na ponta ou meia-ponta você precisa nascer e morrer girando. Acho que tem quem goste muito disso, se sinta bem com o mundo dando voltas, e aqueles que enjoam só de ver os vídeos como o que eu acabei de publicar no meu Facebook. Para quem não gosta muito do mundo rodando, treinar fica complicado e é um trabalho árduo.

Não sou, nem teria como com meu tipo de perna e pé, ser uma bailarina de giro. Ainda mais agora em que fazer quatro piruetas e girar 32 fouettés duplos não faz o menor sentido na minha vida. Mas lembro que houve um tempo em que eu girava mais e melhor (principalmente em pas-de-deux). E em alguns breves instantes isso parecia ser muito bom! Hoje fico bem feliz de fazer uma pirueta dupla controlada (acho mais bonito que girar muito). De vez em quando estou muito no eixo e a tripla acontece quase que naturalmente. E tenho procurado fazer os fouettés mudando de direção, para ir treinando o foco e a cabeça. Tudo na brincadeira, não esperem isso de mim no palco, hahaha!

Mas se quiserem se inspirar, vejam mais no meu Facebook (podem me adicionar, só deixem um recadinho, ok?).

Um comentário:

«*G@bi*» 웃☆웃 disse...

Achei seu blog hoje. Sei que o post foi de anos atrás. Mas, não imagina o quanto me senti feliz em ler os emsmo objetivos (sobre piruetas) e o ballet na sua vida. Também sou publicitária por formação e Designer porém sai um pouco da área e trabalho em um Editora no Interior. Minha vida gira em torno do que a dança proporciona na minha vida. AH!! e você comentou da Toshie, ela esteve em Londrina no ano passado. Perdi a oportunidade de fazer aulas com ela por causa dos horários. Mas tive receio por ser bailarina por amor a dança e me sentir um patinho feio na aula. rs*

Vou continuar a vasculhar seu blog.