quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Balé clássico volta à moda e conquista atrizes da Globo

Matérias enviadas por minha aluna Clóris.
Essa é do Yahoo!

Jean Marie e Alinne Moraes

Uma dança que fortalece os músculos corrige a postura, trabalha a coordenação motora e ainda proporciona flexibilidade para o corpo parece ser a combinação perfeita. E é mesmo: o balé clássico ganha cada vez mais adeptas e deixou de ser exclusividade das crianças. Mesmo quem nunca dançou, hoje em dia, dispõe de aulas especiais para experimentar os passos de nome sofisticado em francês.
Se você acompanhou a novela A Favorita, da rede Globo, pôde conferir os efeitos dessa dança na atriz Cláudia Ohana. Adepta do clássico há alguns anos, ela reflete no corpo esguio e na postura irretocável as lições que aprende. Letícia Spiller, Alinne Moraes, Carolina Dieckmann, Isis Valverde e Fernanda de Freitas estão entre outras famosas que resolveram experimentar os efeitos dos passos nas pontas dos pés.
Os benefícios não ficam só no corpo, o balé também trabalha o raciocínio lógico e emocional e deixa a mente ágil, afirma a professora Maria José Sarayba, do Studio de dança Le Pliè, no Rio de Janeiro. A concentração e a memorização também são treinadas, assim como a disciplina.

A execução dos exercícios está longe de ser uma coisa mecânica e monótona. Pelo contrário, o balé tem uma linguagem própria, que dialoga anatomicamente com o seu corpo. É como as palavras de um idioma: elas estão disponíveis a todos os nativos, mas cada um emprega à sua maneira, compara a professora. Já na primeira aula, é possível sentir a diferença na postura. A melhora na auto-estima incentiva um peito mais aberto, as costas mais retas, há todo um clima que favorece o bem-estar, afirma.
Mas se o interesse está mesmo nas melhoras que ele apresenta para o corpo, aproveite: além da postura exemplar que, por si, já encolhe a barriga, o tônus muscular do bumbum, das coxas e das pernas melhora e a coordenação motora fica mais refinada.
Principalmente nas aulas com adultos, os limites do corpo são sempre respeitados. Sua única exigência é se deixar envolver com a música caprichar na concentração, deixando-se enlevar pela experiência, uma terapia também para a alma. As aulas só não são recomendadas para grávidas, porque alguns movimentos podem pôr em risco o bebê.

Você sente um equilíbrio emocional muito grande. Além de liberar as tensões, o balé desperta sentimentos muito profundos ao proporcionar um contato tão íntimo com a arte. Dançando, a mulher sente-se plena. A satisfação interior melhora a autoconfiança, o autoconhecimento e traz a desinibição, afirma Maria José. O corpo acaba se disciplinando, e não só para a prática, mas para a vida.

Nenhum comentário: